Como aumentar a tua Vitamina D? 3 fatores-chave para reforçar o teu sistema imunitário e a saúde da tua pele


O que é a vitamina D?

Fontes endógenas e exógenas de vitamina D

Para que serve a vitamina D?

Vitamina D baixa: Possíveis causas?

Vitamin D Skin Booster, um reforço de vitamina D para a tua pele

Como se aplica o potenciador de vitamina D da Freshly?

 

Certamente já terás ouvido falar da vitamina D e da sua importância para a nossa saúde, porque avisamos-te desde já que é muito mais importante do que pensas. Vamos contar-te tudo sobre a vitamina D e estratégias para te ajudar a recuperar os níveis ótimos.

Sabias que está a tornar-se cada vez mais comum as pessoas terem níveis baixos de vitamina D? Numerosos estudos relatam uma deficiência cada vez mais presente na população em geral, com uma incidência superior a 80% em pessoas com mais de 65 anos, e cerca de 50% em jovens de 25-35 anos, independentemente da sua cor de pele, sexo ou local de residência.

Cerca de mil milhões de pessoas no Ocidente têm níveis baixos de vitamina D, que estão associados ao desenvolvimento de doenças relacionadas com um sistema imunitário desregulado. Estas incluem infeções respiratórias, diabetes tipo 2, doenças neurodegenerativas, alergias, cancro e doenças autoimunes (apresentamos uma captura extraída de um estudo aprofundado sobre a vitamina D). Também afetam a pele, sendo que algumas delas se devem a causas autoimunes, como eczema, rosácea, psoríase, vitiligo ou acne.

Niveles Vitamina D baja

Agora sabes o quão importante é a Vitamina D para o corpo. Já referimos que alcançar níveis ótimos não é difícil e que com estratégias simples podes melhorar os teus níveis em apenas alguns meses. Lembramos que este é um blog informativo e que tudo o que leres aqui não constitui aconselhamento médico, por isso, se quiseres conhecer o teu nível de vitamina D, recomendamos que consultes um profissional de saúde de confiança. Além disso, este post não exprime uma opinião, mas apresenta informações fundamentadas em artigos científicos publicados.

O que é a vitamina D?

Embora seja chamada vitamina D ou conhecida como a “vitamina do sol”, na realidade atua como uma hormona. Tanto o receptor de vitamina D (VDR) como os metabolitos da vitamina D são expressados por vários tipos de células imunitárias. A investigação demonstra que baixos níveis de Vitamina D (abaixo de 30 ng/ml) resultam numa resposta imunitária muito deficiente.

Com efeito, as pessoas que desenvolvem doenças em que o sistema imunitário assume especial relevância, tais como doenças autoimunes, têm frequentemente graves deficiências de vitamina D. As células do sistema imunitário estão cheias de recetores de vitamina D e, na sua ausência, deixam de funcionar de forma eficiente, pelo que as defesas são reduzidas.

Como já vimos, o número de casos de pessoas que sofrem de deficiência de vitamina D está a aumentar ano após ano e, certamente, te terás questionado: Como posso conhecer os meus níveis de vitamina D? Podes pedir ao teu médico de família para requisitar análises ao sangue e o exame de vitamina D (25-hidroxicolecalciferol). A concentração normal de vitamina D é medida em nanogramas por mililitro (ng/mL).

Segundo o Instituto de Medicina, a deficiência de vitamina D ocorre quando os níveis de vitamina D são inferiores a 20 ng/mL, e a insuficiência ocorre quando os níveis são inferiores a 30 ng/mL. Estudos indicam que o ideal seria manter os níveis entre 40-90 ng/ml. Há muitas pessoas que, por medo de exceder os 60 ng/ml, não tomam medidas e estão em défice. Há que ter em conta que a hipervitaminose de vitamina D é muito rara e só é possível com suplementações acima de 50.000 UI por dia durante meses, quando a dose diária mínima recomendada é de 1.000 UI e a ótima é de 4.000 UI.

Fontes endógenas e exógenas de vitamina D

Existem duas fontes para obter vitamina D: endógena (que o nosso próprio corpo pode sintetizar, mas atenção, neste caso, é preciso um elemento externo indispensável: o sol) e exógena (que obtemos externamente). A nossa pele produz vitamina D de forma endógena quando está exposta à luz solar, neste caso à radiação UVB, e no que diz respeito à fonte exógena, fala-se em alimentação (já referimos que praticamente não está presente nos alimentos) e/ou suplementação oral.

A exposição solar controlada é a principal fonte de obtenção de Vitamina D no nosso corpo, razão pela qual não devemos demonizar o sol, mas sim melhorar a nossa relação com ele, a fim de obter os benefícios que nos pode trazer. Existem aplicações móveis que nos indicam a incidência do sol num determinado dia e quantas unidades internacionais de Vitamina D podemos sintetizar se nos expusermos ao sol. De um modo geral, a radiação UVB começa a incidir a partir das 9 da manhã e com cerca de 10-20 minutos de exposição solar (de preferência em todo o corpo), podemos produzir até 5.000 UI de Vitamina D, o que seria suficiente para manter níveis saudáveis. Aqui estão algumas dicas: durante esses 10 minutos, não utilizes protetor solar, pois bloqueia a sua produção, e fá-lo ao ar livre, uma vez que janelas e vidros bloqueiam parte do espetro luminoso.

Potenciador Booster Vitamina D

Uma exposição solar controlada de 10 min. às 9h00-10h00 ou às 18h00-19h00 nunca será prejudicial para a tua pele ou saúde. Até à data, não há nenhum estudo científico que prove que seja prejudicial. É por isso que se fala sempre em equilíbrio. Não podemos classificar o sol como mau ou bom, ele tem as suas funções e temos de as compreender e respeitar se quisermos gozar de boa saúde.

Mas agora dirás que não te podes expor ao sol a essas horas porque trabalhas ou estás ocupado com outras tarefas. E é principalmente por isso que existe esta deficiência de Vitamina D.

Para contrariar esta deficiência, é frequentemente utilizada a suplementação de Vitamina D com doses diárias de 2.000 a 4.000 UI. A sua absorção será melhor se for encapsulada em óleo (lipossomada), como Vitamina D em azeite virgem extra (evitar óleo de girassol) e tomada com as refeições. Este formato permite que o princípio ativo (neste caso, a vitamina D) viaje pelo corpo dentro de uma espécie de membrana para chegar intacto ao seu destino, otimizado a sua absorção e eficácia.

Mas atenção! Os peritos recomendam evitar as conhecidas doses “suprafisiológicas” mensais, que não têm eficácia comprovada no aumento significativo dos níveis de vitamina D no organismo. É muito melhor tomar um suplemento diário do que uma única dose mensal, uma vez que o corpo fará uma melhor utilização do mesmo, melhorando os níveis de forma consistente.

Se estiveres a ponderar a suplementação, certifica-te de que é feita sob a supervisão de um profissional e confirma a existência efetiva de uma deficiência de vitamina D ou que pretendes otimizar os seus níveis para 40-60 ng/ml.

Para que serve a vitamina D? 

A vitamina D tem muitos benefícios para o organismo, sendo considerada por muitos especialistas como um nutriente necessário para a saúde.

Um dos mais conhecidos é a sua capacidade de ajudar o corpo a absorver cálcio e fosfato. Como sabes, estes são os principais minerais que ajudam a fortalecer o sistema ósseo, impedindo o afinamento e enfraquecimento dos ossos, evitando assim possíveis fraturas.

No entanto, a vitamina D também está presente em muitas outras funções. Por exemplo, ajuda os músculos a moverem-se, assim como os nervos, que transmitem mensagens entre o cérebro e outras partes do corpo.

Além disso, como mencionado acima, as células do nosso sistema imunitário têm vários recetores VDR e, por conseguinte, sem vitamina D, não funcionam corretamente.

Do mesmo modo, o facto de ser sintetizada na pele e a relação entre esta vitamina e a atividade do sistema imunitário levaram à investigação do seu efeito em patologias dermatológicas tão diversas como a acne, a rosácea, a cicatrização, a psoríase, a alopecia, o vitiligo e a dermatite atópica. Em todas elas, observou-se que os pacientes com deficiência desta vitamina tendem a apresentar sintomas mais graves ou a piorar no decurso da doença do que aqueles com um nível normal. Alguns dos efeitos mais visíveis são a perda de luminosidade ou a desidratação, entre outros.

Aqui podes encontrar informações mais técnicas sobre as funções imunitárias da Vitamina D e, se quiseres aprofundar este tema, vais gostar disto:

Propriedades antimicrobianas e antivirais

Modulação dos peptídeos antimicrobianos e da resposta imunitária.

Na presença de infeção, os macrófagos e monócitos ativados têm uma forte expressão de CYP27B1, que converte a 25(OH) D3 em 1,25(OH) D3. Esta ativação da vitamina D3 estimula a produção de catelicidina LL-37, que atua contra bactérias e fungos invasores através da desestabilização das membranas microbianas. Também exibe atividades antivirais diretas, nomeadamente vírus respiratórios como no caso da Covid-19, perturbando os envelopes virais e alterando a viabilidade das células-alvo hospedeiras.

Células apresentadoras de antigénios

A 1,25(OH)2D ou calcitriol modula a diferenciação e as funções das células apresentadoras de antigénios induzindo-as a tornarem-se mais imaturas, resultando numa diminuição da apresentação do antigénio e da produção de interleucina-12 (IL-12) e num aumento da produção de IL-10, uma citocina tolerogénica. A 1,25(OH)2D também demonstrou inibir a produção de algumas citocinas inflamatórias, tais como IL-2, IL-6 e IL-17. Estas respostas imunitárias estão associadas a doenças autoimunes.

Linfócitos T

Os linfócitos T ativados expressam CYP27B1, que medeia a conversão de 25(OH)D em 1,25(OH)2D, estimulando a ativação de VDR.

Estudos demonstraram que a diminuição da relação CD4/CD8, um indicador de aumento da ativação imunitária, foi associada a baixos níveis de 25(OH)D e que a administração de 5000 a 10 000 UI de vitamina D3 foi associada a um aumento da relação CD4/CD8, refletindo a supressão imunitária.

Linfócitos B

Os linfócitos B inativos não têm VDR, e só quando ativados por mitogénios para proliferar é que aumentam a sua expressão de VDR.

A 1,25(OH)2D inibe a formação de plasmócitos e induz a apoptose tanto de células B ativadas como de plasmócitos.

Pensa-se que, ao controlar a atividade das células B e a transformação das células B em plasmócitos, a 1,25(OH)2D ajuda a reduzir a produção de autoanticorpos, reduzindo assim o risco de doenças autoimunes mediadas por anticorpos, tais como o lúpus eritematoso sistémico.

Potenciador Booster Vitamina D

Vitamina D baixa: Possíveis causas? 

Há alguns fatores que podem causar baixos níveis de vitamina D, especialmente devido ao estilo de vida atual, em que passamos a maior parte do dia dentro de casa (no trabalho, na escola ou nos tempos de descanso) que, juntamente com a utilização de protetor solar ao ar livre, pode levar a uma deficiência. Cinco das causas mais comuns são:

  1. Falta de exposição solar. Esta é sem dúvida a principal razão para a deficiência. A falta de exposição à radiação UVB diminui a produção de vitamina D.
  2. Época do ano. Há pessoas que conseguem atingir níveis normais desta importante vitamina D no verão através de uma maior exposição solar, mas depois perdem-na por não manterem este grau de exposição durante o inverno.Fototipo cutáneo.
  3. Fotótipo de pele. O tipo de pele também influencia a capacidade de síntese da vitamina D. Assim, quanto mais escura a pele, maior a dose solar necessária para atingir níveis ótimos de vitamina D. Isto porque a melanina (o pigmento natural que colora a nossa pele) compete com os fotões ativos para a produção de vitamina D. Assim, uma pessoa com pele clara tem o fotótipo adequado para as latitudes onde há menos sol e aquelas com fotótipos escuros em áreas onde há mais sol. A evolução tratou disso.
  4. Idade. A pele perde a sua capacidade de produzir níveis suficientes de vitamina D ao longo dos anos.
  5. Alimentação. Não é normalmente uma causa relevante de deficiência, uma vez que apenas alguns tipos de óleo de origem animal (peixe) a integram em baixas concentrações.

Vitamin D Skin Booster, um reforço de vitamina D para a tua pele

E se houvesse um produto para estimular a síntese de vitamina D através da pele? A Freshly está empenhada na inovação com o lançamento do Vitamina D Skin Booster, que permite aumentar topicamente a concentração de vitamina D endógena (produzida no interior do corpo ou das células).

Formulado com ativos na vanguarda da ciência cosmética: o D Skin Néctar (otimiza a produção de vitamina D), o Chicory Root Active (estimula a síntese endógena de vitamina D e o seu recetor VDR) e o Vitamin D3-Like (estimula a produção de recetores de vitamina D (VDR)), aumentará a síntese de vitamina D na pele em +119% com exposição solar e em +77% sem exposição solar. E melhorará a saúde da tua pele! Alguns dos seus benefícios cutâneos incluem: aumento da espessura dérmica e melhoria dos sintomas de eczema, psoríase, rosácea e vitiligo.

Esta solução pode ajudar-te a manter níveis saudáveis de vitamina D na tua pele, especialmente atendendo ao facto de que a exposição solar diminui no outono e no inverno. Importa referir que se houver uma deficiência de vitamina D, em caso algum deve este substituir uma exposição solar adequada e uma suplementação pautada por um profissional.

Potenciador Booster Vitamina D

Como se aplica o potenciador de vitamina D da Freshly?

Podes combiná-lo com qualquer dos teus produtos cosméticos habituais! Com exceção dos que necessitam de ser enxaguados, tais como géis ou produtos de limpeza, uma vez que a remoção do produto com água não teria qualquer efeito na tua pele.

Potenciador Booster Vitamina D

E como se deve usar? Adiciona uma gota do booster (se for misturado com um produto facial) ou uma pipeta completa (no caso de produtos corporais) para transformar qualquer produto no teu reforço diário de vitamina D. Mistura-os na mão e espalha-os pelo rosto ou corpo.

Na Freshly Cosmetics criamos produtos cosméticos (+99% de ingredientes de origem natural, sustentável e vegana), assentes no nosso conhecimento científico. A nossa visão é mudar a perceção das pessoas, e para isso queremos capacitá-las e dar-lhes a conhecer o importante efeito e impacto que tem a cosmética na pele e no organismo. Somos entusiastas científicos, que procuram no conhecimento aplicado, uma forma de ajudar as pessoas a viver mais conscientemente.
Contamos com a tua companhia nesta viagem? Subscreve a nossa newsletter para receberes mais artigos como este, e descobrir como o conhecimento aplicado te permite melhorar como pessoa dia-a-dia.

O que você achou? Vamos adorar ler você!